As revoadas ocorrem quando as colônias de cupim liberam as aleluias que são os cupins com asas (reprodutores alados) que irão formar novas colônias. Elas acontecem geralmente nas tardes quentes de primavera e verão. Asas ou aleluias mortas próximas de janelas e de lâmpadas são comuns, pois são atraídas pela luz. Se você as viu, é sinal que há colônia próximo ou até mesmo dentro da sua residência.


Como identificar?

Os cupins brasileiros podem ser caracterizados conforme a espécie. Verifique abaixo informações sobre os tipos das pragas:

Cupins de madeira seca

Conhecidos por atingir madeiras, os cupins proliferam nos materiais em formato granulado, tendo como alvo madeira branca, cedrinho e pino. Por se enquadrarem em espécie subterrânea, os cupins possuem asas e voam próximos à lâmpadas acesas. O ataque do cupim é agressivo aos móveis de madeira, portanto opte por fazer um tratamento de forma adequada no objeto.

Cupins subterrâneos

Os cupins subterrâneos são agressivos e residem em cupinzeiros de terra. Além disso, possuem sensibilidade a luz, por isso cavam túneis subterrâneos em florestas, para buscar alimentos presentes em restos vegetais. Os cupins atingem madeiras, edificações, lajes, alvenarias, caixões, prumadas hidráulicas, telefonia e elétrica.Os zangões possuem asas, portanto sobrevoam à luz artificial durante a primavera. O cupim é do sexo masculino e não consegue se reproduzir sozinho, o que impede a ágil proliferação. A diferença entre os cupins da espécie subterrânea e dos de madeira está na quantidade de veias, pois possui três veias principais e muitas transversais nas asas.

Cupins Alados ( Aleluías)

A espécie dos cupins Coleópteros ou Brocas alimenta-se de madeira e costuma aparecer em sacos de cereais. As larvas do cupim se escondem na madeira, por meio de aberturas e não deixam rastros.

Dicas 

Ao comprar um imóvel ou qualquer outro objeto que seja fabricado com madeira, verifique se não há indícios de cupins;

As portas e janelas com telas impedem a entrada da espécie de cupim Alado (Aleluia) no ambiente;

Aplicar verniz em móveis, janelas, batentes, molduras de quadros, portas e outros locais que tenham madeira, é uma das maneiras que ajudam a evitar os cupins;

Como a umidade favorece a proliferação de cupins, é recomendado consertar os vazamentos e infiltrações da casa imediatamente;

Como combater os cupins?


Para descobrir como acabar com os cupins completamente e evitar futuras reinfestações, será preciso acionar uma empresa de controle de pragas. A IMUNI SAÚDE AMBIENTAL conta com profissionais capazes de identificar todas as colônias, com métodos, equipamentos e produtos eficazes na remoção completa dos insetos com o máximo de segurança.

DOSSIÊ DOS CUPINS

Os térmitas, comumente chamados de cupins, receberam este nome que em latim significa “verme que rói a madeira”, entretanto, veremos que os cupins roem muito mais do que isso. Os cupins vivem em colônias chamadas de cupinzeiros. O cupinzeiro é o ninho dos cupins; aonde eles se reproduzem. Em cada ninho há apenas um macho e uma fêmea (o casal real) mas a fêmea é muito fértil podendo colocar milhares de ovos por dia! Também fazem parte da colônia os operários que cuidam da alimentação dos cupins jovens e os soldados que protegem o ninho contra invasões. O cupinzeiro nasce após os “aleluias” ou “siriris” perderem suas asas e se agruparem em casais, ou pode nascer através da migração do casal real do cupinzeiro para outro local fazendo aparecer no ninho primário outro casal que o substitua. Os cupinzeiros possuem formas muito variadas indo desde galerias escavadas na madeira até montes que atingem mais de dois (02) metros de altura. Podem ser subterrâneos, nas árvores, ao nível do solo ou em locais onde tenham uma certa proteção, inclusive junto a gramados, alastrando-se por baixo das placas de grama. A partir do ninho, os cupins escavam túneis muito compridos para irem buscar alimento, por isso, o foco principal dos cupins pode estar a 50, 100 ou até 200 metros do local onde se encontram os seus orifícios de saída. O cupim alimenta-se de madeiras, plantas vivas, sementes estocadas e livros originando uma lista interminável de prejuízos. Entre nós existem basicamente tres espécies de cupins: os do Gênero: Cryptotermes brevis (comumente chamado de cupins de madeira seca), os do Gênero: Coptotermes gestroi (comumente chamado de cupins de solo ou subterrâneos) e os do Gênero: Syntermes molestus (comumente chamado de cupins de grama). Os primeiros do Gênero: Cryptotermes brevis atacam principalmente madeira mas os do Gênero: Coptotermes gestroi causam estragos ainda maiores pois ao se reproduzirem chegam a ocasionar rachaduras nas paredes já que formam ninhos em pontos estratégicos tais como: junto a paredes, tijolos, papéis, tecidos, plásticos, etc. e os Syntermes uma espécie que é praticamente da família termitidae, que faz parte os do Gênero: Coptotermes gestroi atuam mais especificamente junto ao solo e especialmente junto a gramados, que com o tempo vai extinguindo a grama e até mesmo esterilizando o solo com orificios profundos, dependendo das circunstâncias. Os cupins do Gênero: Coptotermes gestroi (comumente chamado de cupins de solo ou subterrâneos) são os mais vorazes de todos, chegando até mesmo a alojar junto a rachaduras de placas/cimento por ocasião de sua proliferação.